Guia de tributação para profissionais de TI

Tributação profissionais de TI

É um novo autônomo em TI e está perdido sem saber o quanto deve pagar de impostos? Fizemos este guia de tributação para profissionais de TI especialmente para você!

Vem se tornando mais frequente a abertura de CNPJ para profissionais de TI e com isso, o surgimento de dúvidas sobre o pagamento de impostos é algo inevitável.

E foi pensando nisso que nós da Contabius trouxemos um conteúdo simples e claro para sanar suas dúvidas. Primeiramente, deve-se frisar que ter um acompanhamento de uma contabilidade especializada e confiável, é indispensável. Fique mais um pouco que já te ajudaremos com seus problemas.

Opções de regime de tributação

Antes de mais nada, é preciso saber qual das três alternativas de tributação se encaixa melhor na sua empresa: Simples Nacional, Lucro Presumido, ou Lucro Real. Para isso, é necessário um estudo minucioso com os profissionais que cuidam da contabilidade do seu negócio. Este é um ponto crucial!

Simples Nacional

Sendo o mais buscado dentre os tributos pelos profissionais de TI, o Simples Nacional os dá o benefício de efetuar os pagamentos em uma única guia, contendo nela: 

  • IRPJ: Impostos de Renda Pessoa Jurídica;
  • CSLL: Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;
  • PIS: Programa de Integração Social;
  • COFINS: Contribuição de Financiamento para Seguridade Social;
  • ISS: Imposto Sobre Serviços;
  • CPP: Contribuição Previdenciária Patronal.

A quitação dos impostos é feita por meio da guia DAS – Documento de Arrecadação do Simples – o qual tem vencimento todo dia 20.

O cálculo se baseia no lucro do profissional de TI e seus gastos com a folha de pagamento, cumprindo com a regra do FATOR R, onde diz: Profissionais de TI com despesas de pró-labore e folha de pagamento em percentual igual ou superior a 28% de seu faturamento, devem ser tributadas no anexo III.

Profissionais de TI com despesas de pró-labore e folha de pagamento em percentual inferior a 28% de seu faturamento, devem ser tributadas no anexo V.

A seguir, pode-se conferir os anexos do Simples Nacional para profissionais de TI, com as determinadas alíquotas e faixas de faturamento.

  • Anexo III do Simples Nacional
FaixaReceita em 12 mesesAlíquotaValor a deduzir
Até 180.000,006,00%
De 180.000,01 a 360.000,0011,20%R$ 9.360,00
De 360.000,01 a 720.000,0013,20%R$ 17.640,00
De 720.000,01 a 1.800.000,0016,00%R$ 35.640,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,0021,00%R$ 125.640,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,0033,00%R$ 648.000,00

  • Anexo V do Simples Nacional
FaixaReceita em 12 mesesAlíquotaValor a deduzir
Até 180.000,0015,50%
De 180.000,01 a 360.000,0018,00%R$ 4.500,00
De 360.000,01 a 720.000,0019,50%R$ 9.900,00
De 720.000,01 a 1.800.000,0020,50%R$ 17.100,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,0023,00%R$ 62.100,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,0030,50%R$ 540.000,00

Lucro Presumido

É bem provável que se o Simples Nacional não for a melhor alternativa a se usar na sua empresa, o Lucro Presumido será o escolhido. Neste regime o profissional efetua seus pagamentos de formas individuais. São calculadas sobre o lucro considerando tais fatores:

  • IRPJ: 4,8%
  • CSLL: 2,88%
  • PIS: 0,65%
  • COFINS: 3%
  • ISS: 2% a 5% (dependendo do município)

Lucro Real

Tal regime é baseado no faturamento mensal ou trimestral da empresa e afeta apenas o seu lucro efetivo. Para a realização de pagamentos desse tributo, a determinada empresa precisa ter uma renda acima de R$78 milhões no período de apuração.

Devidos tributos:

  • IRPJ: 15% mais adicional de 10% para lucro trimestral acima de R$ 60 mil;
  • CSLL: 9%
  • COFINS: 7,6%
  • PIS: 1,65%

Qual a melhor tributação para profissionais de TI?

Os mais usados e indicados para os profissionais de TI são os regimes do Simples Nacional e o Lucro Presumido. Entretanto, para definir qual deles é o mais adequado para o seu negócio, como dito no começo, é necessário primeiro avaliar as condições financeiras da empresa.
Mantenha-se informado e tenha ajuda de profissionais que saberão lhe direcionar para a melhor solução. Junte-se a nós, entre em contato com nossa equipe e conte conosco para te auxiliar nessa jornada!

Compartilhe o nosso artigo

Outros posts

contabilidade

Quais os riscos de vender sem nota fiscal?

Vender sem emitir nota fiscal pode parecer uma solução tentadora para muitos empreendedores. Afinal, evita-se uma série de burocracias e custos aparentemente desnecessários. No entanto,

Contabilidade parceira do seu Negócio

Não perca tempo e converse com um de nossos especialista para tirar suas dúvidas